11/04/2008

opa

"Eu quero e aqui nasce,
à sombra do ritmo,
do sopro retido na alma,
de tudo que me contaram (e do que vi)
o verso, solto, como um bicho!"

3 comentários:

Vitor disse...

massa léo! esse é o final daquele poema que ocê leu no encontro né. Gostei muito, a busca do verso para todos os lados, em tudo (e em nada tb...). Valeu! abraço!

Fabi disse...

Eu quero.

Léo Tavares disse...

Não fui eu que escrevi, nem fui em que postei.
hehe