10/04/2008

.
.
.

de buzum

com encáusticas
nos meus ababás

sou benjamim catisófobo

encavaco
com seu encedrar
sem serendipismos, gabarola

desabelho ante sua penca de pancas heris

semearei a cizânia
pra enfunar com sua preguiça
burguês capadócia

e aumentar o repertório.
.
.

8 comentários:

oswáld de andrade disse...

cueca-cuela é isso aí!
a massa ainda comerá os biscoitos finos que fabricamos

caetano disse...

ou não...
hermetismos não pascoais
não aprecem no Faustão

joão gordo disse...

tá por fora.
isso é papo de pimba

Anônimo disse...

Pô, esse poema só pode ser do mateus. O modo de organizar as frase, o arranjo das palavras...Mais modernista, impossível. O Oswald daí de cima achou uma beleza...

Menezes

fernanda barreto disse...

ai, ai...
este blogue tá cada vez melhor.
;)

Anônimo disse...

saudades, mateus!
eiliko

tati quebra-barraco disse...

quaje num intindi nada

Ciro disse...

Mateus é um gênio!