21/03/2009

suspiros esparsos

ontem,
lua de meio
compasso,
eu era brasileira,
batuqueira,
vanguardista,
dianteira,
concisa,
inteira.
eu era
esparramada
no teu
abraço.

hoje,
não há braços.
amanheço
estrangeira,
sem eira
nem beira.
estilhaço.
só uma
vontade
ligeira
de mandar
tudo pro espaço.

3 comentários:

Anônimo disse...

Um poema muito bem construído, onde a rima não compete com a significação, e sim a reforça. Abraços, Eiliko

Anônimo disse...

Acho a segunda parte mais bem fechada que as primeira, talvez porque a rima que marcou essa segunda parte já vem do fim da primeira parte, o que deu um ritmo melhor ao poema.

Menezes

Ciro disse...

Lindão.