21/09/2008

A palavra pimenta queimando
Entre os lábios
Faiscando na garganta
Como ciscos no olho soprando calor
Num piscar veloz de vulcões
O vermelho nas bordas da visão
Latejando, latejando, latejando...
A vida arde!

Adeilton Lima

4 comentários:

Fabi disse...

As tuas poesias remetem sempre a sensações, a imagens, acho uma das coisas mais belas da poesia, a brincadeira com os sentidos, o cuidado com o cotidiano, é dar significado a vida, coisa que você faz muito bem, eu li e senti arder.
Bjos

Ciro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Nexo Grupal disse...

Ciro, mil desculpas. Acabei excluindo, sem querer, teu comentário que muito incentiva. Valeu também, Fabi!
Adeilton

Anônimo disse...

ahah, fala sério! vc tá de marcação com o ciro, hein!! eheh

menê