16/05/2008

Vamos viver, minha Lésbia,
e, mais que viver,
vamos amar,
todos os resmungos juntos
dos velhos severos
vamos avaliar em um centavo!
os sóis podem se pôr e voltar:
nós, apagada nossa breve luz,
dormiremos uma noite eterna.
me dê mil beijos, depois cem,
depois mais mil, depois a seguir cem,
depois sempre outros mil, depois cem.
então, com muitos milhões,
vamos confundi-los, perderemos a conta,
ou algum maldoso poderá invejar
sabendo a quantidade da beijação.

.............................................................

V

Vivamus, mea Lesbia, atque amemus,
rumoresque senum severiorum
omnes unius aestimemus assis!
soles occidere et redire possunt:
nobis cum semel occidit brevis lux,
nox est perpetua una dormienda.
da mi basia mille, deinde centum,
dein mille altera, dein secunda centum,
deinde usque altera mille, deinde centum.
dein, cum milia multa fecerimus,
conturbabimus illa, ne sciamus,
aut ne quis malus invidere possit,
cum tantum sciat ese basiorum.

Catulo, Séc. I A.C.
transcriado por Mateus Trabelo

4 comentários:

Anônimo disse...

Mateus, você sabe latim, bicho? Tô de cara...parabéns!
eiliko

Fabi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fabi disse...

Que doidoo!! poesia em latim!
Eleito o poeta mais culto do grupo!!
hehehe
Muito bom Matheus (pelo menos a perte em português,já que de latim eu não sei bulhufas)
Bjos
Fabiana

mateus trabelo disse...

ôpa,
obviamente não sei nada de latim. no máximo, em meu favor, posso dizer que sou um curioso. mas tem tempo que gosto muito dos poemas do Catulo, o qual tem pouquíssimos poemas traduzidos em português. parece que só agora tem um professor da Usp se encarregando de traduzir sua obra completa, que, aliás, chegou pra gente relativamente pequena. para a tradução desse poema me utilizei de duas traduções, uma para o inglês e outra para o espanhol, de um dicionário de latim, além do auxílio mais que luxuoso do Prof. Sebastião Machado, da Unifenas, profundo conhecedor de latim. acredito que a tradução do Catulo seja particularmente difícil. ele é anterior às obras clássicas do latim (pré-clássico pois), ao mesmo tempo em que utiliza elementos do latim vulgar e termos de origem grega - conforme me explicou o professor. nessa tradução, segui, como não poderia deixar de ser, a idéia de trans-criação tão bem exposta e desenvolvida pelo Haroldo de Campos.