26/11/2007

Mais poemas em série

Aí vai, enquanto posto o poema IV no Metafísica, o Poema VII. Early work. Coisa modesta, mas sincera :P. Uma espécie de regurgito juvenil.

Poema VII

E então, o que você faz?

O que você faz para passar o tempo?

O que você faz com esse desenlace inútil?

Essa pedra redonda e carente de direção.

O que você faz com um poder tão grande

numa superfície de frustração e morte?

Não sirvo para nada.

Estou preso no espaço.

O que você faz com esse peso interno (?)

essa ardência incessante

esse problema anterior.

Você não faz nada.

Você pensa nada.


Ciro

2 comentários:

Fabi disse...

Nossa, muito legal!
É uma conversa interior?
Tipo, vc para com vc mesmo?

Bob disse...

É uma espécie. Tem uma dupla orientação: chamar a atenção para mim mesmo e também para o outro. Esse "você" sou eu e o outro também...