05/02/2010

Ontem

Ontem, um pássaro se afogou em uma nuvem.
Foi tão triste...

11 comentários:

Léo Tavares disse...

vai ver ele confundiu com uma flor imensa no seu caminho. o sonho do pássaro. imagina a desilusão quando viu que era feita de nada. bom, depois da nuvem o céu continua, eu acho.
isso me lembrou quintana, no melhor sentido. síntese de um tema denso. gosto das imensidões encerradas em versos pequenos.

Kybelle disse...

essa imagem já se apoderou de mim também.

Ciro disse...

Já crássico!

Ciro disse...

Tuitei

Fabi disse...

Eu adoro esses textos rápidos,em que com poucas palavras se transmite toda a densidade possível.Belo poema Eiliko, como sempre certeiro.

Fabi disse...

Eu adoro esses textos rápidos,em que com poucas palavras se transmite toda a densidade possível.Belo poema Eiliko, como sempre certeiro.

Anônimo disse...

Não apenas certeiro como profundamente irônico. Não acreditei na tua tristeza (ou deeria?), afinal que devem fazer pássaros além de se afogar em nuvens? Bem, aqui por onde ando, eles tb se afogam no mar, eheh. Queria saber se é lícito enxergar no teu pequeno poema uma critica ao idealismo, que vê nos gestos (e ações)naturais uma associação direta com a vida e com os sentimentos humanos. assim, o pássaro que se perde numa nuvem causa tristeza porque deixa de agradar aos olhos e também porque representa algo que não podemos dominar, uma imagem que significa nossa verdadeira impotência frente à vida e à natureza. Impotência não no que diz respeito à relação de dominação - por exemplo, entre os homens, mas no que essa vida e natureza guardam que vem antes e vai além do homem e do humano. Se assim for, essa tristeza é então genuína e ironia se dissipa ao mesmo tempo que se reforça. Parabéns.

Continue assim.

menezes

Anônimo disse...

Desculpe a confusão do comentário. Acho que dá pra entender. estou digitando de um laptop minúsculo, em que é difícil até enxergar, na tela, o que escrevo.

abs

menê

Ciro disse...

Crítica ao idealismo? Porra Leo, vc vê marxismo até no haikai mais nonsense. kkkkkk

Kybelle disse...

hahahahahahaha, ai ai, boa, ciro! mas foi uma boa leitura, essa do léo.

Anônimo disse...

é pq conheço o poeta que escreveu os versos. Mas mesmo que nao conhecesse, enxergaria sua chave irônica. abs a vcs todos, poetas fajutos!

Menezes