12/11/2009

Como Engolir Imperativos

Hoje eu mastiguei uma carta com gosto de hóstia.
Digeri 4.562 letras em 10 segundos
E regurgitei 7.
13 “nãos” haviam sido escritos com caneta esferográfica
E 16 escondiam-se no disfarce de outras palavras.
Eles acasalavam entre si e pariam centenas de milhares, como ratos.
Parei de contar “nãos” quando chegou a 518.
O substantivo “amor” apareceu 0 vezes
O verbo amar esteve presente 2 vezes, conjugado na segunda pessoa, imperativo,
Antecipado pela negativa “não” seguida do pronome átono “me”.
E 1 vez subentendido em alguma sentença ofensiva que me custou um corte no céu da boca.
Apenas 4 palavras tinham algum poder curativo sobre isto,
Mas eu as havia engolido primeiro, tamanha era a fome.
Agora estou farto e não me cabe mais nenhuma.
Beijei a assinatura e a abandonei sobre o prato.
A tinta me deixou a letra A marcada no canto direito do lábio inferior.
Estou tão cheio que hoje não levanto mais daqui.
Penso em palavras e meu estômago reclama com um som inteligível
Desligo computador, cubro com lençóis todos os meus livros.
O que fazer com este poema?
Se você tem fome, esteja servido.
Se eu vejo palavra, vomito.

11 comentários:

Marina disse...

Muito bom!

Kybelle disse...

adorei!

Fabi disse...

Uma das melhores coisas que tu escreveu, na minha opinião. Adoro.

Ciro disse...

Leo, este poema me lembrou um que escrevi há uns 6 anos atrás. Nunca mostrei por achar... assaz bizarro:

Fragmento de Ideologia

29 folhas.
96345319
Estas informações não são categóricas.
Eu não posso.
Quem sabe o progresso está em mergulhar a cabeça?
Mas o progresso não é tecnológico.
(e o poema é um enigma)
Vinte-e-nove.
Não é menos que um propósito.
Porque bola de ferro magnética dentro da cabeça.
Uma corda fina (e talvez uma bola de ferro) envolve meus pés, e eu não posso correr para
[uma distância muito longe da dúvida.
De um bolo, sobra apenas aqueles pedaços enferrujados, cheios de bichos fungos,
[monstros verdes cinzentos.
Está mesmo tudo estragado.
96345319

Leonardo disse...

caralho, o bizarro bem trabalhado é sensacional. gostei muito, deveria ter mostrado antes!

Leonardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

também adoro este texto, muito bom. Eiliko

Anônimo disse...

Leo, maravilhoso!



Ciro, pultz, bizarro! Poético...."( é o poema é um enigma)"

Bic

Ciro disse...

Está mesmo tudo estragado.

Nasceu tudo desse verso.

Raíssa disse...

É impressionante, como eu já havia observado lá no seu blog.

Anônimo disse...

Muito legal!
Verus.